publicidade

pesquise aqui sua simpatia

----------------------------------------------
Custom Search
--------------------------------------------

publicidade

----------------------------------------- ----------------------------------------------- ----------------------------------------------------------------------------------------- ---------------------------------------------------
Mostrando postagens com marcador orixas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador orixas. Mostrar todas as postagens

segunda-feira

Linhas da Quimbanda

Linhas da Quimbanda 
 
Linhas da Quimbanda

Linhas da Quimbanda
Assim como há as sete linhas que regem e organizam as forças existentes dentro da Umbanda, dentro da Quimbanda o mesmo acontece e processa, pois como se sabe, " tudo que há em cima, há em baixo." Tendo esta Lei para se começar a entender o por que da existência das sete linhas da Umbanda e da Quimbanda, encontraremos meios de compreensão que estas linhas, estão em lados opostos e harmoniosamente equilibradas, permitindo desta maneira o equilíbrio perfeito resultante dos movimentos dos opostos, perpetuando pela quebra e restauração deste equilíbrio o movimento perpétuo e necessário para a existência em sua concepção maior.
As linhas da Quimbanda, assim como as linhas da Umbanda, são em numero de sete. Vejamos :
Linha Malei
Chefe - Exu Rei, é composta por 7 falanges, cada qual com seu chefe, e seus sete respectivos subordinados. Os componentes desta linhas são os componentes do Alto Comando do Povo de Exu, por este motivo é entendida como a linha que opera e comanda todas as decisões dentro do reino. Esta linha funciona com um alto conselho, uma alta cúpula que rege e administra o reino de Exu, seus componentes de apresentam sempre com roupagem de cor escura, cobertos por uma luz vermelha e sem brilho. Componentes da Linha Malei:
  1. Exu Rei das Sete Encruzilhadas
  2. Exu Marabô
  3. Exu Mangueira
  4. Exu Tranca Ruas das Almas
  5. Exu Tiriri
  6. Exu Veludo
  7. Exu dos Rios ou Campinas
Polo Passivo
Pomba Gira - Pomba Gira Rainha das Sete Encruzilhadas
Linha das Almas
Chefe - Omulu, encontra-se nesta linha espíritos vulgarmente conhecidos como omulus, e isto se deve pelo fato de estarem este espíritos sob a égide de Omulu, tanto no Organograma, quanto diretamente subordinados a ele em sua linha, outro fato que vem elucidar o fato pelo qual estes espíritos são conhecidos pelo denominativo supra citado, é que estes tem por morada os cemitérios, onde também são realizadas suas entregas,são espíritos que se apresentam cobertos de pêlos, unhas em forma de garras, chifres e rosto semelhante à lobos e com olhos vermelhos. São os componentes desta linhas:


  1. Exu Mirim
  2. Exu Pimenta
  3. Exu 7 Montanhas
  4. Exu Ganga
  5. Exu Kaminaloá
  6. Exu Malê
  7. Exu Quirombô
Polo Passivo
Pomba Gira - Pomba Gira das Almas
Linha do Cemitério ou dos Caveiras
Chefe - Exu Caveira, tendo sob sua responsabilidade as ações dos espíritos vulgarmente conhecidos como caveiras, sendo suas manifestações, não para todos estes elementos, na forma de esqueletos. Há sim, alguns destes espíritos que se apresentam e manifestam-se como esqueletos, porém não todos. O fato que outorgou-lhes o denominativo de caveiras é o simples fato de que estes espíritos trabalham e respondem obediência a Exu Caveira, também e pelo fato de que estes espíritos trabalham, e recebem suas oferendas dentro dos cemitérios. São os componentes desta linha:
  1. Exu Tatá Caveira
  2. Exu Brasa
  3. Exu Pemba
  4. Exu do Lodo
  5. Exu Carangola
  6. Exu Arranca Toco
  7. Exu Pagão
Polo Passivo
Pomba Gira - Pomba Gira Rainha dos Cemitérios
Linha Nagô
Chefe - Exu Gererê, os espíritos que são os componentes desta linha são exímios entendidos na pratica da magia, seja astral, seja natural ou qualquer outra forma ou modalidade a eles requisitados. Sua atuação principal é dentro da magia vodu, muito conhecida a nível superficialissímo, sendo esta modalidade da magia, ensinada a pouquíssimos iniciados, haja vista sua complexidade, sua extrema e perigosíssima eficiência, que em mãos erradas podem resultam grandes e as vezes irreversíveis conseqüências, tanto ao operador quanto a infeliz vítima. Quero deixar claro que a magia vodu pode ser amplamente requisitada e usada para fins maléficos, na qual obtém resultados rápidos e por demais eficientes, contudo a magia vodu também, e deveria assim ser, utilizada para fins benéficos e virtuosos. Os espíritos que se apresentam dentro desta linha são denominados vulgarmente de "Gangas". Este fato é existente pelo pouco conhecimento que se tem que o chefe desta linha é Exu Gererê, ou seja é ele um Exu pouco conhecido, apresenta-se sempre com uma armadura, carregando um tridente e uma espada, porém confundido com Exu Ganga, que por sua vez, é por demais conhecido dentro das giras Umbandistas e Quimbandistas, e é este Exu, elemento desta forte e perigosa linha da Quimbanda. São os elementos desta linha:

  1. Exu Quebra Galho
  2. Exu 7 Cruzes
  3. Exu Gira Mundo
  4. Exu dos Cemitérios
  5. Exu da Capa Preta
  6. Exu Curador
  7. Exu Ganga
Polo Passivo
Pomba Gira- Pomba Gira Maria Padilha
Linha de Mossorubi
Chefe - Kaminaloá, os espíritos que se apresentam dentro desta linha possuem um especialidade real para os males de origem espiritual que por ventura venham causar perturbações dentro da mente do ser humano. São os elementos desta linha exímios conhecedores da mente humana e por esta razão são evocados para realizarem os mais diverso tipos de trabalhos onde se necessite o tratamento mental ou desenvolvimento mental para se conseguir os objetivos do operador. São os elementos que compõe esta linha:
  1. Exu dos Ventos
  2. Exu dos Morcego
  3. Exu 7 Portas
  4. Exu Tranca Tudo
  5. Exu Marabá
  6. Exu 7 Sombras
  7. Exu Calunga
Polo Passivo
Pomba Gira - Pomba Gira Maria Molambo
Linha dos Caboclos Quimbandeiros
Chefe - Exu Pantera Negra, conhecido por este nome devido à sua enorme coragem e força para vencer demandas e realizar os mais terríveis trabalhos de magia, além de ter o poder de curar até doenças tidas como incuráveis, também possui o poder de enriquecer quem a ele recorrer, esta linha possui este denominativo não é atoa, pois os espíritos que compõe esta linha se apresentam como se fossem caboclos, índios americanos enfim, tendo especialidade em trabalhos de cura e desobsidiação, além de favorecerem as riquezas materias e tesouros, são exímios guerreiros, a maioria delas pertencem a antiga tribo Sherokee dos E.U.A. Assim como ocorre em todas as linhas, é esta composta por sete falanges, cada uma com seu respectivo chefe, que por sua vez comanda outras sete legiões, onde se divide novamente em sete falanges, novamente, cada falange com sete chefes e assim sucessivamente até certo limite. São os elementos desta linha:


  1. Exu 7 Cachoeiras
  2. Exu Tronqueira
  3. Exu 7 Poeiras
  4. Exu da Matas
  5. Exu 7 Pedras
  6. Exu do Cheiro
  7. Exu Pedra Negra
Polo Passivo
Pomba Gira - Pomba Gira da Figueira
Linha Mista
Chefe - Exu dos Rios ou Campinas. Possui este denominativo, pelo fato de que os espíritos que compõe esta linha não são Exus, mas sim Kiumbas, ou seja, espíritos desencarnados, espíritos de mortos, que servem a Exu. Estes espíritos se encontram nestas condições por fatores que não correspondem ao assunto proposto por esta página. Estes espíritos que trabalham dentro desta linha são os responsáveis pelas obsidiações ou obsessões, excitando várias doenças que por serem causadas a nível espiritual, não são diagnosticadas pelos médicos encarnados, o que torna estas doenças impossíveis de serem curadas pelos métodos da ciência profana. Chegam a causar loucura, estados mentais de perturbações diversas. Mas aqui vai um lembrete: Os Agentes Mágicos são em verdade forças cegas, e assim sendo cabe ao operador direcioná-la da maneira melhor possível, tendo em mente sempre a infalível Lei do Retorno. Sendo esta Linha composta por Kiumbas, é esta apenas regida pelo Exu dos Rios ou Campinas, tendo como polo passivo da linha, Pomba Gira, ou seja todas as Pomba Giras.
Relações existentes entre as Linhas da Quimbanda e Umbanda
Uma vez se entendendo que há uma perfeita harmonia entre as ações dos elementos que compõe as linhas da Quimbanda e da Umbanda, cada elemento destes há um paralelo, um elo de ligação entre a Umbanda e a Quimbanda.





Vejamos entre as Linhas primeiramente:
Umbanda
Quimbanda
Linha de Oxalá
Linha Malei
Linha de Ogum
Linha do Cemitério
Linha de Oxóssi
Linha dos Caboclos Quimbandeiros
Linha de Xangô
Linha de Mossorubi
Linha de Yorimá
Linha da Almas
Linha de Ibêji
Linha Mista
Linha de Yemanjá
Linha Nagô
A Quimbanda é uma dimensão oposta a umbanda. Todos os elementos das luzes têm o equivalente negativo no mundo das trevas. As sete linhas da Umbanda representam as sete linhas da Quimbanda comandadas por exus.

Umbanda
Quimbanda
Linha de Oxalá
Exu 7 encruzilhadas
Linha de Iemanjá
Exu Pomba-Gira
Linha de Ogum
Exu Tranca-Ruas
Linha de Xangô
Exu Gira-Mundo
Linha de Oxossi
Exu Marabô
Linha das crianças
Exu Tiriri
Linha de Preto velhos
Pinga-Fogo
Ritual
O principal ritual da Quimbanda consiste na invocação de espíritos. Sessões, que na Umbanda são Giras de crianças, caboclos [as], pretos e pretas velhos, na Quimbanda são Giras de exus. Os quimbandeiros trabalham exclusivamente com estas entidades que pertencem ao domínio astral daquele primeiro Exu criado por Nzambi na origem do Universo manifestado.
Na Quimbanda, assim como na Umbanda e no Candomblé, não se admite a possibilidade de comunicação direta entre Deus e os homens. Somente os espíritos invocados pelos Tatás, Babás, Ngangas, enfim, sacerdotes/xamãs, somente esses espíritos podem intermediar o contato entre o físico e o metafísico, o visível e o invisível. Assim, todo sacerdote Quimbanda é um medium que incorpora Exus, os executores dos trabalhos que interferem na realidade, na vida das pessoas, seja para o bem ou para o mal.
Exu na Lei da KIMBANDA - Angola
A Lei da KIMBANDA vem dos bantos, dos povos Angola-Congo. A “misturança”, ou ainda podemos dizer “sincretismo” entre o Exu-iorubá, os Ngangas e Tatás (almas de chefes kimbandeiros das nações bantas) foi o que deixou esse ar de confusão no povo, que muitos até mesmo sendo "feitos na KIMBANDA", não entendem, ou o que é pior, tratam-no de diabo. Na verdade, o Exu da KIMBANDA não é o Exu-Iorubá (Orixá ou Imalé dessa cultura). Os Espíritos que chegam na linha da KIMBANDA são espíritos de Ngangas ou Tatás, aqueles que quando encarnados na terra eram sacerdotes bantos adoradores de algum Nkisi ou Npungu.
No Brasil, o culto aos Npungus e Nkisis através dos seus mensageiros – os Ngangas - foi misturado na escravidão com o culto aos Encantados e aos pajés (da cultura tupi-guarani) e também com o dos Iorubás, surgindo os seguintes novos cultos, fruto da miscelânea: Makumba - que vem de "ma-kiumba" (espíritos da noite). Foi assim chamado o mais primitivo culto sincretista no sul do Brasil (e o primeiro originado no Brasil), dada sua maior preponderância banto; é dela que descendem os outros cultos afro-brasileiros com influência das nações Angola-Congo, Tupi-guarani, Nagô e a Igreja, nessa ordem. A razão de se chamar makiumba (logo após por deturpação da palavra ficaria makumba ou macumba) foi justamente, porque é um culto que se faz na noite, onde se deveriam chamar necessariamente os espíritos da noite (almas de outros sacerdotes do culto - Eguns ou Ancestrais). No culto iorubano-nagô conhece-se e rende-se culto aos Ancestrais-Egun, porém eles são afastados dos rituais aos Orixás, tentando ter um contato com outro tipo de energia. Isto contribuiu para que os rituais onde se chamavam os eguns fossem menosprezados, tratados pejorativamente e mal interpretados.
Por outro lado, a Igreja também condenava os cultos com influência índio-banto onde se fazia beberagem e supostamente “orgias”.
Na verdade, as danças bantús eram no Brasil e ainda são na África, bastante eróticas, e também é verdade que os Guias bebem e fumam, porém é muito distante de ser uma orgia ou uma bebedeira. Depois, quando os grupos de nações começaram a procurar sua identidade, dividiram-se os principais componentes da makumba, aparecendo: Candomblé de Angola; Candomblé de Congo; Candomblé de Caboclo ou dos Encantados; Catimbó; - todos eles à procura de uma raiz cultural - e também, ao final do século XIX surgem da macumba urbana, (onde se tinha muita participação dos brancos pobres e os descendentes de escravos) a Umbanda e a KIMBANDA com influências para o Espiritismo e com muito sincretismo. Na KIMBANDA, permaneceu grande parte do culto aos Ngangas da nação Angola-Congo, porém misturado com o diabo (pelas influências dos mitos e tabus dos próprios integrantes - que não tinham conhecimento das origens) e também embaixo do pé do Orixá Iorubá Exu.
HIERARQUIA INFERNAL

     
REINOS DE EXU NA KIMBANDA
A KIMBANDA tem sete reinos, sendo sua organização remanescente das organizações tribais em reinos na África Banto. Cada Reino é composto por nove povos de Exu, sendo que cada povo é comandado por um Exu-Chefe.
POVOS DE EXU NA KIMBANDA
Em cada reino existem 9 povos, sendo um total de 63 povos de Exu. A seguir oferecemos uma lista com os povos que pertencem a cada reino:
Reino das Encruzilhadas
Chefiado por Exu Rei das Sete Encruzilhadas e Pombagira Rainha das Sete Encruzilhadas, governa todas as passagens dos Exus que ali trabalham. Sua função principal é abrir os caminhos para os outros Guias chegarem e também para os filhos e fregueses.
Povo da Encruzilhada da Rua
Chefe Exu Tranca-Ruas
Povo da Encruzilhada da Lira
Chefe Exu Sete Encruzilhadas
Povo da Encruzilhada da Lomba
Chefe Exu das Almas
Povo da Encruzilhada dos Trilhos
Chefe Exu Marabô
Povo da Encruzilhada da Mata
Chefe Exu Tiriri
Povo da Encruzilhada da Kalunga
Chefe Exu Veludo
Povo da Encruzilhada da Praça
Chefe Exu Morcego
Povo da Encruzilhada do Espaço
Chefe Exu Sete Gargalhadas
Povo da Encruzilhada da Praia
Chefe Exu Mirim

Reino dos Cruzeiros
Chefiado pelo Exu Rei dos Sete Cruzeiros e Pombagira Rainha dos Sete Cruzeiros, governa todas as passagens dos Exus que trabalham nos cruzeiros (não confundir com encruzilhada).
Povo do Cruzeiro da Rua
Chefe Exu Tranca Tudo
Povo do Cruzeiro da Praza
Chefe Exu Kirombó
Povo do Cruzeiro da Lira
Chefe Exu Sete Cruzeiros
Povo do Cruzeiro da Mata
Chefe Exu Mangueira
Povo do Cruzeiro da Kalunga
Chefe Exu Kaminaloá
Povo do Cruzeiro das Almas
Chefe Exu Sete Cruzes
Povo do Cruzeiro do Espaço
Chefe Exu 7 Portas
Povo do Cruzeiro da Praia
Chefe Exu Meia Noite
Povo do Cruzeiro do Mar
Chefe Exu Kalunga (Kalunga grande)

Reino das Matas
Chefiado pelo Exu Rei das Matas e Pombagira Rainha das Matas. Governa todos os Exus que trabalham nas matas ou locais que tenham árvores a exceção do Cemitério, que pertence a outro reino.
Povo das Árvores
Chefe Exu Quebra Galho
Povo dos Parques
Chefe Exu das Sombras
Povo da Mata da Praia
Chefe Exu das Matas
Povo das Campinas
Chefe Exu das Campinas
Povo das Serranias
Chefe Exu da Serra Negra
Povo das Minas
Chefe Exu Sete Pedras
Povo das Cobras
Chefe Exu Sete Cobras
Povo das Flores
Chefe Exu do Cheiro
Povo da Sementeira
Chefe Exu Arranca Tôco

Reino da Kalunga
Chefiado pelo Exu Rei das Sete Calungas ou Kalungas e Pombagira Rainha das Sete Kalungas. Esses Exus também são chamados pelo nome de Rei e Rainha dos Cemitérios. Geralmente quando se diz "calunga" nas giras de KIMBANDA é para nomear ao cemitério. Trabalham neste reino todos os Exu que moram dentro dos cemitérios exclusivamente.
Povo das Portas da Kalunga
Chefe Exu Porteira
Povo das Tumbas
Chefe Exu Sete Tumbas
Povo das Catacumbas
Chefe Exu Sete Catacumbas
Povo dos Fornos
Chefe Exu da Brasa
Povo das Caveiras
Chefe Exu Caveira
Povo da Mata da Kalunga
Chefe Exu Kalunga (conhecido também como Exu dos Cemitérios)
Povo da Lomba da Kalunga
Chefe Exu Corcunda
Povo das Covas
Chefe Exu Sete Covas
Povo das Mirongas e Trevas
Chefe Exu Capa Preta (conhecido também como Exu Mironga)

Reino das Almas
Chefiado por Exu Rei das Almas Omulu e Pombagira Rainha das Almas. Eles também são conhecidos por Rei e Rainha da Lomba, porque governam todos os Exus que trabalham em locais altos. Porém, os Exus deste reino também trabalham em hospitais, morgues, etc.
Povo das Almas da Lomba
Chefe Exu 7 Lombas
Povo das Almas do Cativeiro
Chefe Exu Pemba
Povo das Almas do Velório
Chefe Exu Marabá
Povo das Almas dos Hospitais
Chefe Exu Curadô
Povo das Almas da Praia
Chefe Exu Giramundo
Povo das Almas das Igrejas e Templos
Chefe Exu Nove Luzes
Povo das Almas do Mato
Chefe Exu 7 Montanhas
Povo das Almas da Kalunga
Chefe Exu Tatá Caveira
Povo das Almas do Oriente
Chefe Exu 7 Poeiras

Reino da Lira
Os chefes deste reino são muito mais conhecidos por seus nomes sincréticos: Exu Lúcifer e Maria Padilha, sendo na verdade seus nomes kimbandeiros Exu Rei das Sete Liras e Rainha do Candomblé (ou Rainha das Marias). Seus apelidos kimbandeiros mostram justamente sua afinidade pela dança, a música e a arte (lira e candomblé). Dentro do reino da Lira, que também às vezes é chamado "reino do candomblé" não pelo culto africanista aos orixás, senão por ser essa palavra o sinônimo de dança e música ritual. Trabalham aqui todos os Exus que tem que ver com a arte, a música, poesia, boemia, artes ciganas, malandragem, etc.
Povo dos Infernos
Chefiado por Exu dos Infernos
Povo dos Cabarés
Chefiado por Exu do Cabaré
Povo da Lira
Chefiado por Exu Sete Liras
Povo dos Ciganos
Chefiado por Exu Cigano
Povo do Oriente
Chefiado por Exu Pagão
Povo dos Malandros
Chefiado por Exu Zé Pelintra
Povo do Lixo
Chefiado por Exu Ganga
Povo do Luar
Chefiado por Exu Malé
Povo do Comércio
Chefiado por Exu Chama Dinheiro

Reino da Praia
Chefiado pelo Exu Rei da Praia e Rainha da Praia. Dentro dele encontram-se todos os Exus que trabalham nas praias, perto d'agua o ainda dentro dela, podendo ser salgada ou doce.
Povo dos Rios
Chefiado por Exu dos Rios
Povo das Cachoeiras
Chefiado por Exu das Cachoeiras
Povo da Pedreira
Chefiado por Exu da Pedra Preta
Povo do Marinheiros
Chefiado por Exu Marinheiro
Povo do Mar
Chefiado por Exu Maré
Povo do Lodo
Chefiado por Exu do Lodo
Povo dos Bahianos
Chefiado por Exu Bahiano
Povo dos Ventos
Chefiado por Exu dos Ventos
Povo da Ilha
Chefiado por Exu do Côco
Pomba Gira
Chamada de Pombagira, Bombogira, Exu-mulher ou ainda Bomobonjira é conhecida a Entidade feminina da KIMBANDA. Esta forma de chamar para Ela é sem dúvida pela influência banta (Angola). A Entidade banta Aluvaiá-Pombagira foi então submetida à Entidade iorubana Exu, sendo colocada como sua mulher.
Na KIMBANDA, devemos dizer que a Pombagira representa o poder feminino feiticeiro, comparável com as Iyami Oxorongá dos iorubás. Ela pode ter muitos maridos, que tornam-se seus "escravos" ou empregados. Na concepção da KIMBANDA, todas as Entidades são duplas, é dizer, cada uma delas pode se apresentar em baixo da aparência de homem ou mulher. Por seu lado, os Exu-homens podem ter muitas mulheres, as quais passam a ser suas escravas ou empregadas. É muito comum usar o número 7 (sete) para dizer quantas mulheres ou homens pode ter uma Entidade, isso é assim, por ser um numero cabalístico e mágico.
Cada Exu-homem da KIMBANDA tem sua parte feminina ou contrapartida, que na verdade são a mesma Energia em baixo de aparências distintas, temos assim:
  • Exu Rei das Encruzilhadas / Pombagira Rainha das Encruzilhadas;
  • Exu das Matas / Pombagiras das Matas;
  • Exu Giramundo / Pombagira Giramundo;
  • Exu do Cravo Vermelho / Pombagira da Rosa Vermelha;
  • Exu Mulambo / Pombagira Maria Mulambo;
  • Exu Sete Capas / Pombagira Sete Saias;
  • Exu 7 Estrelas / Pombagira 7 Estrelas; etc.
Quando incorporada no cavalo, a pombagira mostra-se quase sempre bonita, feminina, amável, elegante, sedutora, mais também tem vidência, é certeira e sempre tem algum conselho para aqueles que estão sofrendo por um amor. Ela gosta das bebidas suaves : vinhos doces, licores, cidra, champagne, anis, etc. E gosta dos cigarros e cigarrilhas de boa qualidade, assim como também lhe atrai o luxo, o brilho e o destaque. Usa sempre muitos colares, anéis, brincos, pulseiras, etc. Sendo que existem milhares de pombagiras, e que cada uma tem sua própria pessoalidade, e torna-se muito difícil uma descrição geral.
Suas oferendas levam ovos, maçãs, morangos, perfumes, pentes, espelhos, flores (especialmente rosas - nunca botões), bebidas, cigarros, etc.
As principais pombagiras em ordem hierárquica são as correspondentes às sete passagens da representação feminina de Exu Rei, Pombagira Rainha, após temos 63 pombagiras chefas, sendo cada uma delas a contrapartida de algum dos Exu chefes que já apresentamos na parte onde falamos dos povos de Exu.
As funções principais de Pombagira são as de ajudar os seus em todos os casos de amor, mas também é usada a sua força para desmanchar feitiços, para pedir proteção e curar várias doenças.
GENERALIDADES DE ALGUNS EXUS
Deixamos claro que quando falamos de alma encarnação de um determinado Exu, isso não indica que faz alusão a todos os que se apresentam com este nome, sendo que se trata de um caso específico sobre o qual estamos falando. Os Exus que chegan aos médiuns são pessoais, portanto, suas vivências e encarnações são únicas. Devem sim, ter algo em comum com a falange da qual representam e também possuir uma base sólida.
Temos constatado que muitas narrativas baseadas em dados por algum Exu pessoal têm se estendido e se generalizado para todos os que chegam com este nome em outros médiuns, o que é um erro.
- Outros Exus -
Exu Angola
Que pertence ao povo das Almas do Cativeiro
Exu Cobra Preta
Pertence ao povo das Cobras que trabalha dentro do Reino das Matas
Exu Come-Fogo
Ronda nas cercanias dos crematórios e pertence ao povo do forno
Exu Coquinho dos Infernos
Que integra o grupo do Povo dos Infernos (dentro do Reino da Lira)
Exu da Estrada
Que trabalha nas rotas e estradas (povo do Cruzeiro da Rua)
Exu da Lama
Tem a incumbência onde há incêndios e faz parte do Povo do Forno
Exu Dalva
Pertence ao Povo do Cruzeiro do Espaço. Gosta de trabalhar quando está amanhecendo e recebe as oferendas em terrenos abertos
Exu do Ar
Trabalha sob o comando de Exu dos Ventos
Exu Formiga
Pertence ao Povo das Campinas, mora perto dos formigueiros onde procura um de seus alimentos prediletos: as formigas
Exu Gato
Prefere trabalhar nas encruzilhadas dos montes
Exu Gererê
Trabalha dentro do mar, pertence ao povo dos pescadores, de fato, seu nome significa “red” em linguagem banto
Exu Hora-Grande
Outro tipo de nome que se usa para referir-se a Exu Meia-Noite
Exu Kolobô
Que trabalha nos cemitérios e ataca condolências, pertence ao povo das mirongas
Exu Lalu
Trabalha nas encruzilhadas da praia sob as ordens de Exu Mirim
Exu Limpa-Trilhos
Trabalha nas vias de trem abrindo os caminhos, pertence ao povo da Encruzilhada de Trilhos e seu chefe direto é o Exu Marabô
Exu Mangue
Vive nos mangues
Exu do Pantanal
pertence ao povo do Lodo
Exu Pinga-Fogo
Que pertence ao povo dos Fornos ou do Fogo (povo do fogo material)
Exu Relâmpago
Trabalha no povo da Encruzilhada do Espaço (pontos cardinais), sob as ordens de Seu Sete Gargalhadas
Exu Sete Horas
Que pertence ao povo do Cruzeiro do Espaço
Exu Tira-Tôco
Trabalha nos montes de Eucaliptos a beiradas do mar. Pertence ao povo da mata da praia
Exu Tranca-Gira
Trabalha nos cruzeiros sob as ordens de Exu Tranca Tudo
Pombagira da Terra
Trabalha nos cemitérios
Pombagira Rosária
Trabalha nos mercados e feiras
Pombagira Sete Folhas
Pertence ao povo das árvores e trabalha na entrada dos montes
OFERECEMOS TAMBÉM A SEGUINTE LISTA:
  • Exu Aleba
  • Exu Apavenã
  • Exu Banzé
  • Exu Bara
  • Exu Bauru
  • Exu Boca de Fogo
  • Exu Caçamba
  • Exu Candô
  • Exu Casamenteiro
  • Exu Chico Preto
  • Exu da Figueira
  • Exu da Guiné
  • Exu da Laranjeira
  • Exu da Limeira
  • Exu do Congo
  • Exu do Mar
  • Exu Espeto
  • Exu Folha Seca
  • Exu Gibóia
  • Exu João Caveira
  • Exu João da Bahia
  • Exu João das Almas
  • Exu João Kalunga
  • Exu João Mandinga
  • Exu João Mironga
  • Exu João Pepeu
  • Exu Laborê
  • Exu Loá
  • Exu Lofe
  • Exu Lonã
  • Exu Madeiro
  • Exu Maiô
  • Exu Mareiro
  • Exu Maromba
  • Exu Marujo
  • Exu Matança
  • Exu Miloá
  • Exu Mirô
  • Exu Olho Grande
  • Exu Panteira
  • Exu Pedra roxa
  • Exu Pena de Coruja
  • Exu Pena de Urubu
  • Exu Pena Preta
  • Exu Pimenta
  • Exu Rebolo
  • Exu Serapião
  • Exu Sete Baforadas
  • Exu Sete Dias
  • Exu Sete Facas
  • Exu Sete Montes
  • Exu Sete Pregos
  • Exu Tata Ndaí
  • Exu Tatalá
  • Exu Tatu
  • Exu Tibiri
  • Exu Tira-Teima
  • Exu Toquinho
  • Exu Treme Terra
  • Exu Três Encruzilhadas da Perdição
  • Exu Três Penas
  • Exu Tronco
  • Exu Tronqueira
  • Exu Trovoada
  • Exu Tuniquinho
  • Pombagira Akiesan
  • Pombagira Aruá
  • Pombagira Carangola
  • Pombagira da Lomba
  • Pombagira das Cachoeiras
  • Pombagira das Cobras
  • Pombagira das Flores
  • Pombagira de Belém
  • Pombagira de Maceió
  • Pombagira de Mafia (da Ilha de Mafia na África)
  • Pombagira de Pemba (da Ilha de Pemba naÁfrica)
  • Pombagira Detê
  • Pombagira do Bananal
  • Pombagira do Jardim
  • Pombagira do Luar
  • Pombagira do Oriente
  • Pombagira do Rio
  • Pombagira do Sol e da Lua
  • Pombagira Ganzá
  • Pombagira Kirombô
  • Pombagira Maleva
  • Pombagira Maria Alagoana (de Alagoas)
  • Pombagira Maria Bahiana (da Bahia)
  • Pombagira Maria Colodina
  • Pombagira Maria da Praia
  • Pombagira Maria das Almas
  • Pombagira Maria de Minas (de Minas)
  • Pombagira Maria Farrapos
  • Pombagira Maria Lixeira
  • Pombagira Maria Mulambo
  • Pombagira Maria Navalha
  • Pombagira Maria Quitéria
  • Pombagira Maria Rosa
  • Pombagira Maria Tunica
  • Pombagira Moça Bonita
  • Pombagira Mundana
  • Pombagira Rosa Amarela
  • Pombagira Rosa Caveira
  • Pombagira Rosa Preta
  • Pombagira Rosa Roxa
  • Pombagira Rosinha
  • Pombagira Sete Chocalhos
  • Pombagira Sete Cores
  • Pombagira Sete Estrelas
  • Pombagira Sete Maridos
  • Pombagira Sete Ondas
  • Pombagira Sete Saias

terça-feira

Maldição de amarração – amarração amorosa sao cipriano

Maldição de amarração – amarração amorosa
«[ Deus] os PRENDE com correntes e os AMARRA com LAÇOS »
Sagradas escrituras - Livro de Job 36, 8
«Pelas chagas de Cristo, juro que (…) se faço isto é pelo muito amor que lhe consagro»
Obra de são Cipriano; forças e poderes ocultos do ódio e do amor; capitulo 1º
Amarrações amorosas e amarração para trazer amor de volta:
O que é?
MALDIÇOES DE AMARRAÇÕES. Amarração. O que é ?


Uma amarração, ( ou uma amarração amorosa), conforme a doutrina espiritual do caminho dos santos, é um processo místico e espiritual através do qual se invoca uma maldição, ( uma maldição de amarração, conforme revela o livro de Job, de Levítico e de Eclesiástico - Job 36, 8-12;Levítico 5,14-21; Eclesiástico 23, 18;22;26 ), a fim que ela desça e «amarre» alma de uma pessoa com a finalidade de a levar a ceder e a vergar a alguém que tendo pedido um tal conjuro a um santo de Deus, (como são Cipriano), então veja regressar a si a pessoa amada que teima em fugir-lhe, ou veja entregar-se a si a pessoa desejada que resiste em abrir-se-lhe. 
  
Acredita o caminho dos santos, que Deus é senhor não apenas de bênçãos, ( a chamada «magia branca»), como também de maldições, (a chamada «magia negra»), pois que Deus é senhor de todas as coisas, pois que assim está revelado:
Essas maldições [ de Deus, contra quem desobedece á sua vontade] serão para sempre um sinal e um prodígio
Deuteronómio 28, 46
Pois que assim se revela que as maldições de Deus, são um sinal e um prodígio que provem de Deus.
  
O rejeitado no amor, o injustiçado no amor, o atormentado e oprimido no amor, e o sofredor no amor, tem o direito de pedir aos santos de Deus ,(como são Cipriano), por auxílio na sua causa.
E em resposta, Deus pode amarrar, prender e constranger a alma daquele que enchendo-se de orgulho então persiste em manter o seu coração obstinado nos seus desvios e rejeições àquele que o ama, e que sofredor de amor pediu auxilio a um santo de Deus.
E quando Deus, por intercedência de um dos seus santos, aceita amarrar uma alma, eis que o faz segundo esta lei, conforme assim foi revelado:
Quando [ Deus] os PRENDE com correntes e os AMARRA comLAÇOS de aflição, é porque Ele só quer denunciar-lhes as acções e pecados causados pelo orgulho. E assim, Deus abre-lhes os ouvidos (…) se eles Lhe derem atenção e se submeterem, terminarão os seus dias na prosperidade e os seus anos em bem estar. Se não obedecerem, atravessarão a fronteira da morte e morrerão sem dar por isso
Job 36, 8-12
.
Pois conforme a doutrina e a fé no caminho dos santos, quando uma amarração é pedida a um santo de Deus e a Deus, ela é pedida neste fundamento e segundo esta lei, ou seja:
Para que por força da maldição de amarração aquele que teima em manter o seu coração obstinado, teimoso, orgulhoso e fechado então se abra ao que sofre e que por ele aguarda; para que por força da maldição de amarração aquele que se afastou então se submeta e regresse ao que o ama; para que por força da maldição de amarração aquele que se nega a entregar então se submeta e se venha a entregar ao que o deseja.
E quando assim é pedido, então é-o segundo a lei que acima é revelada no livro de Job, e um tal clamor é feito por forma a que os santos de Deus aceitem e assistam a esse pedido, para que se assim o fizerem então que a maldição recaia sobre o aquele rejeita o rejeitado, então que a maldição desça sobre o aquele magoa o sofredor, e que assim seja feito para que aquele que anda distante ceda e aceite aquele que rejeitou.
Deus é senhor não apenas de bênçãos, (ou as magias brancas), mas também e igualmente é senhor de maldições(ou as magias negras), pois que assim está escrito:
Se não me ouvirdes (…) mandarei contra vós a maldição
Malaquias 2,2
Pois assim se sabe que aquele que recusa a escutar aquilo que Deus e os santos de Deus estão tentando operar no seu coração, na sua alma e na sua vida, então sobre esse Deus fará recair a maldição, pois que Deus é senhor de bênçãos e maldições.
Assim, na amarração amorosa será pedido que os espíritos sob o poder de Deus intervenham na alma, na vida e no coração daquele que mantém o coração fechado a quem o ama, para que ele regresse a quem o ama, pois que o santo de Deus ouvindo o clamor do sofredor assim firmou e rogou tal maldição. E assim, aquele que se recusa a corrigir os seus caminhos e a ceder ao decretado pelos votos clamados a um santo de Deus, esse verá a sua alma amaldiçoada até que se torne manso e ceda, e assim amaldiçoado ficará ate que o faça, e assim sucederá para que ele ceda.
As escrituras revelam que sobre Job, sobre Saul , sobre Acab e sobre Abimelec….  sobre todos eles Deus lançou espíritos maus para que se cumprissem os seus projectos; também sobre o faraó do Egipto e através de um dos seus santos, (Moisés), Deus lançou uma maldição de 10 pragas, para que o faraó cedesse e se cumprisse a sua vontade. Pois assim se observa que Deus sobre todas as coisas tem poder, e Deus tem poder tanto sobre anjos e bênçãos, ( magia branca), como tem poder sobre espíritos maus e maldições, ( magia negra).
Pois através de um santo de Deus, podem-se firmar as mais fortes maldições a favor do injustiçado no amor, do sofredor no amor, ou do rejeitado no amor, assim amarrando o obstinado e o desviado, até que ele ceda e vergue e se entregue a quem clamou por tal auxílio.
No amor e por amor, pode o Senhor a todos ajudar, pois que assim está escrito:
Bendito seja Deus, Ele fez por mim maravilhas de amor
Salmo 31,22
E ao que sofre pela rejeição do coração desviado, ao que sofre pela teimosia do coração endurecido, e ao que sofre pela opressão do coração fechado, esse assim pode apelar a um dos santos de Deus e a Deus:
Levanta-Te Deus com a tua ira! Ergue-Te contra o abuso dos meus opressores!
Salmo 6,7
Assim se sabe que aquele que rejeita, aquele que magoa, e aquele que se recusa a abrir a alguém que um santo de Deus aceitou proteger, assim oprimindo-o e ferindo-o, então eis que se sabe que Deus poderá sobre esse opressor erguer-Se e enviar-lhe a sua ira, e pode essa ser uma maldição de amarração, para que aquele que rejeita se vergue ao rejeitado, para aquele que foge se submeta ao que espera, para aquele que magoa se entregue ao magoado, para aquele que orgulhosamente permanece obstinado ceda ao que por ele anseia em amor, por amor e com amor.
Ensinam as escrituras que há muito tempo atrás, também um povo sofria oprimido, chorando, desesperado, inquieto, ansioso, desamparado e desiludido perante um faraó do Egipto que se recusava a conceder-lhes liberdade. E perante tamanho tormento nos seus corações, eis que através de um santo de Deus que foi Moisés, operou-se uma poderosa maldição que caiu sobre o faraó do Egipto e eis que o faraó depois de padecer tormentos então abriu o seu coração e cedeu ao povo hebreu, aceitando liberta-lo.
Pois o mesmo pode suceder consigo, pois se através de um santo de Deus o Senhor decidir firmar a sua maldição sobre aquele que tanto tormento lhe causa com a sua obstinação irredutível, então a essa pessoa sucederá o mesmo que ao faraó, e também essa pessoa ver-se-á forçada a ceder a si, a vergar a si e a abrir-se a si, para que se acabe então o seu tormento, a sua dor, a sua solidão, o seu descontentamento, o seu sofrimento, a sua ânsia, e sua inquietude e o seu desespero.
Quando assim o Senhor de todas as coisas o aceitar fazer por intercedência de um dos seus santos, ( como é são Cipriano), então essa amarração será estabelecida tal como foi a maldição recaída sobre o faraó do Egipto, e será essa uma amarração conforme o saber acima revelado de Job, (Job 36, 8-12),e será essa uma amarração pela qual a alma dessa pessoa será presa por correntes de padecimentos para que ceda ao que a ama, e será essa uma amarração pela qual a alma dessa pessoa ficará ligada a laços de aflição para que se vergue ao que a ama, e será essa uma amarração que assim se firmará com a ira do Senhor para que essa alma ceda, e será essa uma amarração pela qual isto assim sucederá ate que essa alma se canse de andar perdida e de sofrer, e então se entregue àquele que está oprimindo, ferindo e magoando com a sua obstinação, pois que destes votos não há escapatória.
E porem podereis dizer:
Mas Deus não «amarra» ninguém.
Então assim vos dizemos:
Acaso não está escrito?:
Eu mesmo te vou AMARRAR com cordas, e não te voltarás de um lado para o outro enquanto não terminarem os dias em que deves ficar AMARRADO.
Ezequiel 4,5-8
E assim se atesta que Deus pode pelas suas próprias mãos pode amarraruma alma, e assim sendo então ligar, atar e prender uma alma pelo tempo que Deus achar certo para que essa alma se vergue, e ceda, e se entregue á sua vontade.
.
E se mesmo assim ainda vos subsistem dúvidas quanto ao poder de uma amarração clamada a um santo de Deus como são Cipriano, então olhai que assim está revelado:
.
Que o amor e a felicidade não te abandonem. AMARRA-OSem redor do teu pescoço
Provérbios 3,3
.
Pois assim que se saiba: Não deixeis que o amor vos fuja, e não deixeis a felicidade do vosso coração evadir-vos, e se necessárioAMARRAI-OS a vós. Assim diz a Palavra de Deus para que quem quiser então entenda, e assim se cumpre na amarração clamada a um santo de Deus e a Deus.
Exemplos históricos de amarrações ou processos espirituais com efeitos iguais ás amarrações  


Provavelmente a primeira vez na historia da humanidade, (em termos bíblicos), que os efeitos típicos de uma «amarração» sucederam, foi quando a serpente tentou Eva a cair no pecado, e o fez através da tentação. Conforme descrito no Livro de Génesis, a serpente não obrigou Eva a cair na tentação, pois um espírito não pode obrigar ninguém a nada. Contudo, a serpente insinuou-se persistentemente na vida de Eva de uma tal forma, que ela acabou cedendo e caindo na tentação.
Outro grande exemplo histórico de efeitos espirituais iguais aos surgidos numa amarração, podemos encontrar no I Livro de Samuel. Nesse livro bíblico, (18,10), podemos observar como Deus enviou um espírito mau para tomar conta do rei Saul, a fim de o abater e desmoralizar, ate que o rei fragilizado…caísse em desgraça.
Outro exemplo bíblico de uma maldição poderosamente lançada a uma pessoa, podemos encontrar no Livro de Job, onde se observa que Satã actuando com a anuência de Deus, infestou a vida de Job com todo o tipo de maleficências para testar a Fé dele.
Ainda outro exemplo histórico podemos encontrar na história de São Cipriano. No capítulo sobre a «Historia da Conversão de São Cipriano», podemos ler que contratado por Aglaide, São Cipriano formulou uma maldição de amarração sobre Justina. Em virtude de tal malefício, Justina foi atormentada pelo demónio, ora sendo «presa a fortes tentações», ora sendo aterrorizada para que ficasse «apavorada». Tudo isso, sempre feito com a intenção de vergar o espírito de Justina, para que ela farta de tanto tormento, se entregasse ao mandante da bruxaria. Justina foi por isso vítima de imensas «astúcias demoníacas», sendo contudo que o feitiço nesse caso não funcionou, pois que ao contrário do sucedido com o rei Saul, Deus não o permitiu e São Cipriano fracassou nesse bruxedo. Apesar de todos os tormentos invocados por São Cipriano funcionarem em pleno, contudo Justina não se entregou ao mandante da bruxaria pois Deus não o permitiu, como havia permitido que os tormentos surtissem efeito no rei Saul, levando-o à perdição. 
Que efeitos produz uma amarração?

Dizem o saberes de S. Cipriano que uma amarração com recurso a magia negra, desperta sobre a sua vítima, tanto tentações como tribulações, conforme seja necessário para forçar uma certa criatura a aceitar um fim amoroso que ela não deseja. Desde infortúnios a tentações carnais, as astúcias demoníacas operam de diversas formas, conforme se pode ler:
«Aglaide resolveu apelar para outros recursos, e foi procurar Cipriano, o mago dos magos (…) Atendendo á solicitação, Cipriano valeu-se de todos os recurso da sua arte magica para satisfazer o moço enamorado (..) Cipriano fez com que jovem fosse presa de fortes tentações e ficasse apavorada durante noites com aparições (…) Foi aquele demónio a casa de Justina, procurando excitar-lhe o espírito e acender-lhe os desejos da carne(…) Perturbada pela influencia diabólica, Justina (..) sentia incendiar-se-lhe na carne a chama do desejo (…) a jovem (…) sentiu ímpetos de buscar amante fosse como fosse (..) o príncipe das trevas(…) vingou-se desencadeando (..) uma série dedoenças de toda a sorte»
Obra de S. Cipriano, Pag.s 27-31, Capitulo «A Conversão de S. Cipriano»
 Assim se percebe verdadeiramente como opera uma amarração, ou seja, cabe a uma amarração concorrer para gerar efeitos espirituais e espiritualmente perturbadores, fragilizantes e desorientadores na alma de uma criatura, ate que ela fartando-se de assim andar espiritualmente perdida, condenada e com a alma caída em perdição, então acabe cedendo e vergando a um certo fim de natureza amorosa.
.
Pois tal como Deus permitiu que Satã invadisse a vida de Job, também Deus o permitindo então a amarração assim amaldiçoará a vida do amarrado. A amarração não fará por isso nascer amor no coração de ninguém, nem trará alguém a si de alegre e livre vontade, mas antes constitui simplesmente uma maldição que tem apenas o objectivo de infestar a alma de uma pessoa para ora enfraquecer, ora desorientar, ora influenciar alguém.
.
Assim funciona a maldição de amarração, pois que Deus deu ao homem livre arbítrio, conforme revelado no Livro de Eclesiástico XV, XI-XIV. Porque o que Deus dá ninguém pode retirar…logo nem os espíritos, nem os demónios, nem os anjos, podem obrigar o amor a nascer num coração, pois que o amor é algo que apenas pode existir verdadeiramente se nascer voluntariamente e em liberdade, ou então não será amor. O que porem pode ser feito, é levar aquele que persiste irredutivelmente em andar por caminhos maus, e que rejeita o rejeitado, e que fere o injustiçado, a parar com a sua obstinação e a regressar aos caminhos e destinos que lhe foram ditados pelo Senhor através da intercedência de um dos seus santos, como é são Cipriano.
.
Entenda-se assim: o faraó do Egipto jamais aceitou com bondade e amor o pedido de Moisés para libertar o povo de Deus, e no coração do faraó jamais a compaixão e o amor a Deus conseguiram entrar, sendo que o seu coração permaneceu sempre irredutivelmente fechado e endurecido.
.
Porem, ao coração fechado e endurecido do faraó, respondeu Deus através de um dos seus santos, ( Moisés), infestando-o com uma maldição de 10 pragas, e assim feito, o faraó assim cedeu e se abriu á vontade de Deus.
.
Não foi fácil, e foi necessário o seu tempo pois foram necessárias 10 pragas para gerar temor e cedência no coração do faraó.
.
E não cedeu o faraó nem amor ou compaixão, pois que essas coisas jamais ali nasceram naquele coração endurecido e fechado.
.
E porem, no tempo que Deus marcou, o faraó assim foi levado a vergar. Pois assim e da mesma forma sucede neste tipo de processo espiritual.

Como é que uma amarração consegue produzir esse resultado de união?

Uma amarração produz esse resultado de oportunidades de união no amor, porque as entidades espirituais invocadas e que infestam o «amarrado»,  vão abordar a pessoa amarrada e vão causar certos efeitos de tormentos e tribulações na sua alma.


Você pergunta:
- que efeitos produz uma amarração? Que efeitos tem o espírito que está operando invisivelmente uma amarração na vida de uma pessoa?

Os espíritos provocarão fundamentalmente 5 tipos de efeitos na vida da pessoa que estão querendo amarrar a quem encomendou a maldição de Deus a um santo de Deus, ou aquilo a que vulgarmente se chama um trabalho de magia.
.
Os 5 efeitos de uma amarração sobre uma pessoa, são:
1-
Tentação, seja na forma ou de desejo carnal, ou na forma da pessoa amaldiçoada ser induzida a andar com o mandante da amarração no pensamento, ou na forma de uma vontade, (ou da geração de circunstancias), e que de tempos a tempos impele a vitima a estar próxima do mandante da maldição
2-
Problemas, contratempos, revezes, perdas, atrasos, infortúnios, tribulações e eventos desmoralizadores que tendem a perseguir a vida da vítima de maldição de amarração, e por vezes mesmo ate aqueles que a rodeiam e que essa pessoa ama. Pode também uma má-sorte relativamente ocasional parecer persistir em suceder-se na vida da pessoa, ou na de pessoas a ela ligadas. 
3-
Estados mais ou menos visíveis de confusão, ou desorientação, que tendem a ocorrer na vítima da maldição de amarração. A pessoa amaldiçoada pode mesmo revelar comportamentos rebeldes, ou que evidenciam uma revolta mais ou menos inexplicável, ou ate mesmo um sentimento de angustia que persiste em acompanhar a pessoa, pois que ela esta sendo infestada por espíritos e mesmo não tendo disso consciência, ( pois que os seus olhos não os vêem), a pessoa contudo pressente no seu intimo que algo não esta certo e acaba por manifestar condutas algo desorientadas, contraditórias, impacientes, revoltosas, indecisas, atípicas, como se a pessoa parecesse não estar totalmente «em si mesma», ou como se ela não soubesse bem o que quer, ou que a pessoa tanto hoje actuasse num sentido e amanha noutro, ou que a pessoa manifestasse visíveis estados de irritabilidade e intolerância ás contrariedades.
4-
Perturbações espirituais advindas da infestação de espíritos na criatura vitima de maldição de amarração, e que lhe podem afectar os sonhos, (sonhos intensos, pesadelos, sonhos estranhos e fortes ou ate mesmo a ocorrência de insónias), e ate mesmo gerar comportamentos dispersos, erráticos ou contraditórios. Perturbações alimentares, dores de cabeça e outros tipos similares de distúrbios físicos que não tenham uma origem atestada por uma explicação médica, podem também ocorrer. Não pretende com a isso a maldição gerar doenças ou enfermidades, mas antes contribuir para a fragilização e desorientação da pessoa amaldiçoada
5-
Estados de indecisão, ou desmoralização, ou ate mesmo isolamento. Nalguns casos estes estados podem afectar as capacidades de normal discernimento, e pode a pessoa cair num estado de alheamento, impasse e estagnação, na qual ela fica constrangida de tal forma em virtude dos padecimentos da alma, que não consegue senão permanecer em desgraça, pois que ela resistindo a aceitar o mandante da maldição, contudo também não se consegue libertar da maldição e dos desejos expressos do mandante da maldição, e tudo estagna num impasse até que ela aceite abrir-se aos fins do malefício. Pode também a vida da pessoa ser espalhada e dispersa por caminhos maus, a fim de a fazer vaguear perdida por maus destinos e jamais encontrando o seu bom destino, e assim suceda para que ela jamais encontre paz nem  tranquilidade, e para que assim sendo ela vá apenas encontrando aridez e desilusão após desilusão, e assim sucedendo então ela se canse de vaguear perdida e de sofrer na alma, e assim aceite o mandante da maldição. Podem por tudo isso ocorrer manifestações de padecimentos espirituais que não sendo conscientes ou visíveis, contudo deixam a pessoa amargurada e atormentada no seu íntimo, pois que a sua alma está condenada a permanecer infestada de uma maldição.    
Em resumo:
Estes são em traços gerais, os 5 efeitos que se farão sentir sob uma pessoa vítima de uma maldição de amarração.
.
Alguns destes efeitos são visíveis, ( como por exemplo os comportamentos que a pessoa passa a assumir, ou as tribulações que a possam atingir), ao passo que outros efeitos são invisíveis, ( como as tormentas e padecimentos espirituais que acometem a pessoa, e que não sendo visíveis contudo são perturbadores, ou angustiantes, ou destabilizantes e opressivos para a pessoa que os sofre no intimo da sua espiritualidade e por vezes mesmo de uma forma semi-inconsciente pois que ela não pode ser alertada para o facto de estar a ser «amarrada»).
.
Uma maldição é um processo espiritual que infesta a alma de uma pessoa, pelo que na sua essência a infestação não é visível aos olhos tal como o espírito não se vê com os olhos e porem ele existe, nem as almas se podem ver com os olhos e porem elas existem. Contudo, a infestação de amarração embora não se vendo, ela existe e é tão real como são os espíritos, e como é Deus. Tudo isto é feito, para que em espírito a alma da pessoa amaldiçoada seja amarrada, presa e constrangida, e assim seja ate que no corpo ela ceda e se submeta ao mandante da maldição.
Por isso, numa maldição de amarração se diz:
«Fulano ( nome da pessoa a quem se faz a amarração), se tu amares outra pessoa que não a mim, pedirei ao Diabo que te encerre no mundo das aflições, e de lá não saias senão para te unires a mim»
Livro de S. Cipriano, Capitulo «As Mágicas» de S. Cipriano, pag. 329
Pois assim: O que pede a amarração?
Pede que tal como a alma condenada é aprisionada no inferno, também a alma amarrada fique presa, ligada e constrangida a padecimentos ate que ela se submeta, e que assim essa alma espiritualmente presa, atada e amarrada apenas se livre dos tormentos quando ceder á maldição.
Assim:
ou ela regressará, ou ela amaldiçoada ficará até regressar.
Significa isso:
A criatura ficará espiritualmente amaldiçoada, a sua alma será objecto de infestação de maldição, e de tempos a tempos terá algum descanso para que não morra, pois que a morte não se lhe deseja. Mas depois, logo regressará a maldição em forma para atormentar a vítima, pois que ela não terá descanso.
Da maldição, a criatura amaldiçoada apenas se livrará se regressar ao mandante da maldição, ou finda a sua vida, ou se o mandante decidir «libertar» a vítima da maldição. 
Técnicas espirituais usadas numa amarração, conforme o saber de são Cipriano


Assim diz a obra de são Cipriano:
Porque Deus permite que o demónio atormente as criaturas (…)
1º È para que o homem, obstinado, em culpas, sirva de terror aos outros homens
2º È para que os que não são obstinados, sejam só castigados neste mundo[ e não no próximo] pelas suas culpas
3º É para que o homem, vendo-se castigado pelo demónio, fuja de ofender a Deus
4º É para castigar alguma culpa ( …) da qual se quer satisfazer a justiça de Deus
5º É para os que estão em graça, não caiam dela
6º É para que se arrependam os pecadores, vendo com os seus olhos a justiça de Deus
7º É para mostrar a santidade de algumas criaturas
8ºÉ para purificar os seus escolhidos
9º È para que tenham o purgatório neste mundo, e se confundam, vendo que dos seus males resultam as criaturas tantos bens
Obra de são Cipriano; sobre poderes ocultos, orações e esconjuros; capitulo  1º
Pois se sabe pela obra de são Cipriano, que existem 9 motivos pelos quais Deus pode permitir que demónios e espíritos maus vão e atormentem as almas das criaturas, ( ou seja: que ocorra com sucesso a chamada «magia negra»), e numa amarração amorosa é pedido que Deus o permita conforme o1º, o  2º e o 4º motivos expostos na obra de são Cipriano, ou seja, para que aquele com o coração obstinado seja castigado neste mundo pela sua obstinação, assim como para que o Senhor permita que se castigue a culpa daqueles que ferem e magoam injustamente o coração do sofredor, e que esses andem perdidos, dispersos, e sendo castigados tanto tempo quanto necessário ate que desistam da sua obstinação e cedendo, se tornem mansos.
Nalguns casos, também o 8º e 9º motivo é invocado, ou seja, é pedido que a criatura amarrada sofra na alma tanto quanto necessário, e por tanto tempo quanto necessário, para que lavando-se de todo o mal feito a quem feriu, e limpa esteja de todos os pecados cometidos contra quem magoou, então essa criatura já purificada e limpa então venha a quem a ama.
Também assim diz a obra de são Cipriano:
Nomes dos demónios que atormentam as criaturas, porque Deus as consenteque elas as mortifiquem (…)
Há obsessos, possessos, malificiados. Os obsessos são aqueles que o demónio atormenta estando do lado de fora; Os possessos são aqueles que têm o demónio dentro do corpo; Os malificiados são aqueles que o demónio apoquenta ou molesta (…) por concurso de alguma feitiçaria ou trabalho; Os malificiados e possessos, são os que estão enfeitiçados e juntamente possuídos pelo demónio; Os malificiados obsessos são aqueles a quem o demónio persegue na parte de fora
Obra de são Cipriano; sobre poderes ocultos, orações e esconjuros; capitulo  2º
Pois numa amarração amorosa, procura-se invocar o tormento de uma criatura através da casta de espíritos «obsessos», ou seja, não se pretende que a pessoa seja possessa a níveis descontrolados e irrecuperáveis, mas sim que ela seja atormentada por espíritos que a perseguem sem a invadir intrusivamente, fazendo-a perder-se irremediavelmente, pois que isso não se pretende, mas antes se pretende a alguém conduzir outrem. Porem, na amarração toda a criatura amarrada é uma criatura «maleficiada», ou seja, uma criatura na qual os padecimentos da sua alma concorrem por força de espíritos que acorreram a essa pessoa por força de um trabalho.
como funciona espiritualmente a amarraçao de magia negra?
Espíritos enviados - como enviados foram os espíritos que atormentaram Job e o rei Saul - espíritos descerão e assombrarão as noites, o sono e a alma da pessoa amarrada, gerando tormentos, bloqueios, dispersões do seu destino ou estagnações que levam a vítima a um estado de confusão.
Os efeitos de um feitiço de amarração celebrado por missa negra e apelando ao poder das maldições de Deus, atacam espiritualmente a alma da pessoa a quem se dirige, e tendem a começar a ocorrer num prazo entre 6 a 12 dias após a maldição ter sido lançada. Pois então:
 Uma vez lançada a maldição de amarração, então ela infestará na alma da pessoa amarrada, e ela ali persistirá castigando e flagelando na alma dessa pessoa amarrada sempre sem dar descanso nem parar senão ate essa pessoa ceder ao mandante da maldição/feitiço de amarração, e por isso assim se fará conforme assim está escrito:
Tu castiga-os pouco a pouco, dando-lhes oportunidade de se arrependerem
Sabedoria 12,10
Pois então: A obra do espírito em espírito castigará «pouco a pouco» e «passo a passo» ate que a pessoa ceda, e por isso: «pouco a pouco» - e a cada dia que passar -  eis que a amarração em espírito insistirá e persistirá castigando na alma da pessoa amarrada sem jamais parar nem recuar senão quando ela ceder, e por isso eis que  – dê por onde der e demore o que demorar – assim será até ela acabar cedendo, e por isso ela cederá, pois que neste mundo apenas vence aquilo que for por Deus em espírito aceite, firmado e destinado.
Pois por isso, assim trabalhará a amarração, pois olhai que na obra de são Cipriano podemos ler:
o descanso que tu terás enquanto para mim não te virares, é como o que tem as almas no purgatório, penando continuamente (…) será esse o descanso que te dou enquanto para mim não te virares
Obra de são Cipriano , sobre «Autentico tesouro da magia branca e da magia negra ou segredo da feitiçaria», capitulo 7º, versando sobre «trabalho que se faz com bonecos tal qual fazia são Cipriano», Pag 236
Pois então:  A função da amarração é esta, que é em espírito amaldiçoar e amarrar a alma de uma certa pessoa num mundo de tormentos espirituais que em espírito afligirão a alma dela, para que assim sendo então essa pessoa sofra na alma ate ceder, e que esse padecimento não saia dela senão quando ela arriar, e que assim seja ate ela ceder.
Que fins são alcançados com os efeitos de uma amarração?

Se formuladas por saberes conforme os de são Cipriano, as maldições, (sejam as de amarração ou outras), são fenómenos espirituais particularmente agressivos e que tendem a infestar a vida de uma pessoa através da acção dos efeitos anteriormente descritos. Ao realizar todos estes 5 tipos de efeitos na vida da pessoa amarrada, (todos eles poderão suceder, ou então apenas aquele que os espíritos acharem necessário causar numa criatura, sendo que alguns desses efeitos são visíveis – como as tribulações que atingem uma pessoa, ou as condutas que ela demonstra, etc…-  e outros operam-se espiritualmente e são por isso invisíveis – como os estados emocionais ou espirituais de tormento -),
o trabalho de amarração acaba gerando uma MALDIÇAO numa certa pessoa, a fim de a fazer ficar, ou sujeita á tentação carnal, ou fragilizada, ou confusa, ou com a vida dispersa por maus destinos, e assim ande com a alma atormentada para que fartando-se de vaguear sem descanso e cansando-se de sofrer na alma, então possa a vitima da maldição acabar cedendo e aceitando o mandante do malefício.
«Amarrar», num sentido místico, significa o mesmo que «constranger», ( do latim «constrangere»), ou seja: «obrigar á força», «impedir movimentos», «coagir», «obrigar a sujeitar-se» e «violentar». O acto de «amarrar» alguém a uma pessoa, (num sentido espiritual), é o acto de amaldiçoar uma pessoa a ser violentada na alma, a punir-lhe na alma todos os movimentos dessa pessoa que vão no sentido dela se afastar da outra, e por essa via obriga-la á força a sujeitar-se á coacção de que é vitima. Trata-se por isso de uma forma de violentamente pressionar alguém a submeter-se a outrem.
.
Assim, a amarração não promete que uma pessoa volta de livre vontade, antes o que a amarração promete é que a pessoa que se afastou, fique AMALDIÇOADA e que assim:
.
1-ou ela aceite, «contra própria vontade», o seu regresso á força, (à custa das torturas que sofre)
2- ou ela resista, e nesse caso fique amaldiçoada ate regressar, (à mercê dos efeitos atribuladores da maldição)
.
A maldição de amarração castigará a alma da pessoa amaldiçoada, fará com que a pessoa atingida fique desorientada, confusa, fragilizada, com vida dispersa e perdida, pois a maldição infestará a sua alma.
Os espíritos, ( seja eles anjos ou demónios), não «comandam» nem «mandam» nas pessoas, pois elas possuem o «livre - arbítrio» que lhe foi concedido por Deus. E se nem Deus retirou esse «livre arbitro» ao homem, então muito menos o poderiam anjos ou demónios faze-lo. Desse «livre arbítrio» fala são Agostinho no seu livro LXXXIII I, e também afirma o mesmo Santo Agostinho na sua obra que os espíritos apenas podem «insinuar-se» ás pessoas, que os espíritos apenas podem «influenciar» as pessoas.
Não se afirma por isso que uma maldição de amarração faz uma pessoa a voltar de livre vontade pulando de felicidade e êxtase, alegremente e cheia de amor para si, pois nenhum espírito poderá fazer nascer forçadamente amor num coração, uma vez que nem Deus isso faz. Afirma-se antes que uma maldição de amarração faz espíritos poderosos vindos sob o comando de Deus insinuar-se,( tal como sucedeu com Job, Saul, Abimelec e Acab), na vida da vitima, e assim gerar efeitos, (conforme os 5 tipos de efeitos anteriormente descritos), que levam uma pessoa a ficar , ( conforme os efeitos que a maldição gerar, sejam eles visíveis ou invisíveis), espiritualmente atormentada.
Esse é o fim da maldição de amarração, pois que o fim da amarração é…AMALDIÇOAR AQUELE QUE SE AFASTOU, PARA QUE ELE OU REGRESSE FORÇADAMENTE, OU SE INSISTIR EM NÃO REGRESSAR, ENTAO FIQUE AMALDIÇOADO. Uma vez rogada e direccionada a maldição á sua a vitima, o processo está gerado e concluído com sucesso, pois que a pessoa se encontra... AMALDIÇOADA.
.
Depois de infestada com a maldição, será a força ou a fraqueza espiritual da pessoa amaldiçoada a ditar por quanto tempo ela resistirá aos tormentos da maldição, e quando ela sucumbirá á mesma. A pessoa amaldiçoada, poderá sucumbir mais ou menos brevemente aos efeitos da maldição, conforme seja ela mais forte ou mais fraca de espírito, e ofereça por isso mais ou menos resistência á infestação de que a sua alma foi vítima. Perante Moisés, o faraó do Egipto necessitou que uma maldição constante de 10 pragas infringisse a sua vida de todas as formas, para deixar que o povo de hebraico fosse liberto da escravidão, e mesmo assim feito ele persistiu em teimar contra a vontade da maldição e voltou atrás na sua decisão, perseguiu o povo de Deus. Já mediante a maldição, o rei Saul mais facilmente se desmoralizou e vergou, ao passo que a maldição não abandonou Job enquanto ele não cedeu aos fins que justificaram o seu tormento. Assim se observa que a força espiritual de uma pessoa pode faze-la resistir a uma maldição, e que se assim sucede a maldição persistirá em perseguir a pessoa ate que ela ceda. Enquanto persistir em resistir, persistirá na alma dela a maldição.
.
Por isso, é fácil entender pelos efeitos gerados por uma amarração, (confusão, contratempos, desorientação, fragilização, tormentas, etc), que os sintomas que uma amarração produz não são típicos de magia branca, mas exclusivamente próprios de uma maldição de magia negra
.
Sobre as amarrações operadas por são Cipriano, costuma-se dizer:
È como um casamento selado não pela bênção de Deus, mas sim pela maldição dos santos e de Deus.
Assim é, pois que 2 almas ficam unidas através da maldição ate que a morte as separe. E até que a morte as separe, aquele que foi amaldiçoado permanecerá amaldiçoado até que aceite o outro, pois que unidos estão os dois em alma,( pela maldição), para que depois se unam os corpos assim que o amaldiçoado ceder.
E se o amaldiçoado não ceder, então amaldiçoado permanecerá ate que ceda, ou que a morte o leve deste mundo.
Desta maldição, e destes votos, não há escapatórias nem «divórcios», senão com a morte.
E muitos assim dizem: como podem ser os santos de Deus e Deus chamados a assuntos de amor e de amarração?
«Deus está perto dos corações feridos»
Salmo 34,19
E muitos assim dizem: como podem ser os santos de Deus e Deus chamados a assuntos de amor e de amarração?
Pois assim dizem os mais antigos saberes hebraicos, pois que assim diz a Torah:
Se o marido suspeitar e tiver ciúmes, quer a mulher esteja contaminada quer não, ele deverá levar a sua mulher ao sacerdote (…) o sacerdote dirá fazendo a mulher jurar: “Se não dormiste com um estranho e não te contaminaste enquanto estavas com o teu marido, que esta água amarga da maldição não te faça mal. Mas, se (..) enquanto estavas com ele te contaminaste , deixando-te com outro homem (…) que Deus te entregue á maldição
Levítico 5,14-21
Assim se sabe que aquele que num relacionamento ofende o amor, que fere o coração do outro, e que magoa aquele que ama…. esseestá na verdade ofendendo, ferindo e magoando a Deus. Assim se sabe também que aquele que ferindo no amor, e tendo por isso ofendido a Deus…. será amaldiçoado por Deus. E sobre a alma desse que ofendeu a Deus desviando-se do amor, recairá a maldição de Deus que o fará padecer ate que ele ceda e vergue e redimindo-se do seu pecado então ele regresse ao bom caminho do amor, regressando àquele que amando foi desprezado e ferido no amor. Esta é a maldição amorosa que Deus permite que se firme numa alma, pois que assim também está escrito:
O homem que trai o leito matrimonial (…) tal homem será castigado (…) o mesmo acontece com a mulher (…)seráamaldiçoada
Eclesiástico 23, 18;22;26
Esta é a maldição amorosa que Deus permite que se firme numa alma, ( coisa á qual vulgarmente chamais de «amarração»), e este é o mandamento da Lei de Deus usado para invocar um santo de Deus e a Deus…. para que uma alma seja «amarrada» conforme prevê o Livro de Job 36,8-12.
Uma amarração de magia negra, é uma maldição
Uma amarração é uma maldição,  é um processo de magia negra, que celebrado em missa negra por sacerdotes de um altar místico, visa infestar a alma da pessoa atingida com uma maldição, a fim de a condenar espiritualmente ao tormento Assim feito, ou a criatura regressa e a maldição cessa, ou se ela resistir a maldição perdurará ate que ela regresse, a fim de a «forçar» a aceitar o mandante da maldiçao.
Sobre o amor, eis que assim está revelado:
O amor é forte, é como a morte!
Cruel como o abismo é a paixão.
As suas chamas são chamas de fogo, uma faísca de Deus
Cântico 8,6
Pois assim revelam as escrituras que o amor é forte e contudo pode ser cruel como a morte, e contudo o amor é uma «faísca» de Deus, o amor é uma fagulha que faz parte de um grande fogo eternamente ardente que é Deus, o amor é uma parte da essência celestial daqu’Ele que é o Senhor de todas as coisas.
E porque o amor é uma parte de Deus , e porque o amor é como uma centelha de Deus que arde dentro de um coração, então no coração daquele que ama ali habita uma «faísca» de Deus, e então assim sendo ali existe a possibilidade de apelar a Deus para que Ele possa intervir junto daquele que rejeita e fere aquele coração, para que Deus lance a sua ira contra quem está rejeitando e magoando uma «faísca» do Senhor.
E aquele que magoa, que fere, que rejeita e que se desvia dessa faísca de Deus, se Deus o ordenar então verá recair sobre a si a ira e a maldição de Deus, para que assim sucedendo ele cesse de ferir o coração que ama, e lhe ceda, e se lhe vergue. E firmando-se a maldição de Deus, eis que sucederá conforme assim está escrito:
Todas essas maldições cairão sobre ti, perseguir-te-ão e atingir-te-ão (…) porque não obedeceste a Deus
Deuteronómio 28,45
Pois assim se sabe que a maldição rogada por um santo de Deus e por Deus firmada, ela cairá e perseguirá a pessoa amaldiçoada ate que ela ceda e vergue e aceite os propósitos dessa maldição, e se assim não o fizer então a maldição perdurará na sua alma ate que ela ceda.
Assim, quando por um santo de Deus uma alma é amarrada, ela apenas poderá livrar-se de tamanha perdição e maldição cedendo às ordens que essa maldição lhe impõe, assim entregando-se àquele que clamou por tal maldição.
E sobre esse amaldiçoado, tal como sobre o rei Saul sucedeu, a força dos espíritos enviados por Deus assim o lavará a ceder, ou em tormentos ficará perdido até que ceda.
E porem podereis dizer:
Mas Deus não «amarra» ninguém.
Então assim vos dizemos:
Acaso não está escrito?:
Eu mesmo te vou AMARRAR com cordas, e não te voltarás de um lado para o outro enquanto não terminarem os dias em que deves ficar AMARRADO.
Ezequiel 4,5-8
Pois assim se atesta que Deus pode pelas suas próprias mãos pode amarrar uma alma, e assim sendo então ligar, atar e prenderuma alma pelo tempo que Deus achar certo para que essa alma se vergue, e ceda, e se entregue á sua vontade.
Provas bíblicas da amarraçao amorosa

«[ Deus] os PRENDE com correntes e os AMARRA com LAÇOS »
Job 36, 8
Deus tem o poder de prender e amarrar uma alma, e a isso mesmo se chama…. «Amarração», sendo que essa consiste numa maldição de Deus que visa fazer o coração endurecido e desviado e rebelde, ceder e vergar-se aos destinos que Deus marcar a uma alma.
Que assim é, eis que atestam as escrituras, onde assim está escrito:
Quando os prende com correntes e os amarra com laços da aflição, é porque Ele só quer denunciar-lhes as acções (…) [ causadas] pelo orgulho. E assim, deus abre-lhes os ouvidos (…) se eles Lhe derem atenção e se submeterem, terminarão os seus dias em prosperidade e os seus anos em bem-estar. Se não obedecerem, atravessarão a fronteira da morte sem dar por isso
Job 36, 8-11
Assim se sabe que Deus pode AMARRAR uma alma em aflições, ate que ela ceda e escute a vontade de Deus.
E a isso chama-se… uma AMARRAÇAO.
E como opera a amarração apelada a um santo de deus?
Conforme assim foi revelado:
[ Deus] diz: «Não endureçais os vossos corações»(…) Durante quarenta anos aquela geração Me desgostou. Então Eu disse: «È um povo de coração transviado (…) por isso eu jurei na minha ira: Jamais encontrarão repouso».
Salmo 95,8-11
Assim foi revelado que ao Senhor não agradam os corações endurecidos, transviados, desviados e teimosos, pois que o coração assim fechado é um coração onde Deus não pode operar, e onde o amor de Deus não pode ali entrar, e onde o amor não pode sobreviver verdadeiramente.
Assim, perante o coração transviado, teimoso e fechado que fere e magoa aquele de fé, pode o de fé pedir a um dos santos de Deus que interceda para que sobre o coração transviado e desviado, possam recair as mesmas maldições que recaíram sobre o povo de Deus quando ele fechou o coração a Deus, e endureceu o coração ao Senhor, pois que quando assim sucedeu, o povo de Deus se viu amaldiçoado e por 40 anos vagueou pelo deserto sem repouso, nem descanso, nem bom destino, e em padecimentos, ate que se vergasse á vontade imposta pelo Senhor.
Pois que ao coração endurecido e desviado que magoa aquele de fé,  e que desagrada a Deus, também a essa alma será dada a mesma punição, e também ela sofrerá padecimentos na alma e andará perdida por caminhos perdidos, andará desviada por caminhos desviados, e não encontrará em lugar nenhum um bom destino, nem um repouso, ate que se vergue e ceda e abra o seu coração.
Este é o fundamento da amarração de uma alma que é o mesmo que levou o povo de deus a ficar 40 anos «amarrado» a um deserto, por estarem os seus corações endurecidos e transviados. E nisto verdadeiramente, segundo a doutrina do caminho dos santos, não há pecado mas apenas a lei de Deus.

Postagens populares

entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Google+ Followers

Seguidores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs